top of page

Gramática existência

Rosa Araujo

Vivera até aquele momento uma vida entre vírgulas e pontos quase finais. Não conseguia entender o porquê de uma pessoa tão jovem e tão inteligente não transformar a escrita da sua existência em um texto sem tantas reticências, tantos talvezes.

Como pode uma criatura com tantas certezas, com tantas oportunidades ter tantos pontos de interrogação a povoar a sua trajetória ?

Sentia que não podia mais viver assim, uma vida repleta de lacunas, sem glórias, sem epifania. Precisava e queria partir em busca do ponto de exclamação que faltava para ter seu verdadeiro lugar no mundo!

Deixou para trás as certezas que os pontos e vírgulas lhe traziam e caminhou até o som e as cores que as exclamações lhe revelavam. Interrogações e reticências ainda vinham perturbar algumas vezes, velhos hábitos são difíceis de deixar para trás, porém manteve-se firme e nunca mais voltou ao ponto de partida.

No momento do inevitável ponto final ao qual todos nós chegamos um dia, teve a certeza que fizera o melhor que pudera para transformar sua vida em uma ode à alegria, com todas as exclamações que conseguira juntar pelo caminho.








19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Dança Solar

Rosa Araujo A mãe descascava os legumes para fazer o almoço, quando a menina entra correndo pela porta: - Mamãe, o sol está pingando! Vem ver! A mãe olha para filha e diz: - Filhinha, o sol não é água

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page